,

O Poder da Máscara de Flores


31 • 08 • 2018
por Roseli Siqueira

Olá meninas, tudo bem?

O mês de setembro chegando e, com ele, a estação mais bonita do ano, a Primavera!!!

Por isso, hoje vou falar sobre o poder das flores, em especial a nossa queridinha Máscara de Flores.

A Máscara de Flores é composta por flores e plantas e seus compostos fenótipos reduzem os danos tóxicos da pele, aumentando o fluxo sanguíneo. É um polivitamínico rico em minerais, com ação antioxidante, depurativa e rica em vitaminas. Auxilia no combate às manchas e fortalece o sistema imunológico, conferindo efeito protetor e suavizante para área do rosto pescoço e colo.

Como usar: Comece por uma limpeza na pele com o banho de espuma lemurianas e a polpa do cacau. Retire com água abundante e aplique a Máscara de Flores. Seus ingredientes associados a sete flores, principalmente a Flor de Lótus, ajuda a remover as toxinas da pele e purifica. Com efeito, comedogênico, elimina as impurezas. Espalhe por todo rosto, inclusive abaixo dos olhos e deixe agir por quinze minutos. Umedeça a ponta dos dedos com água e, suavemente, vá molhando a máscara e massageando com movimentos circulares para ajudar na penetração. Aos poucos, pequenas “massinhas” se formarão, grudando umas nas outras e removendo a máscara. Caso esteja com o tempo escasso, use um algodão embebido em água para retirar o produto mais facilmente ou lave em água corrente.

A máscara deve ser utilizada uma vez ao dia, deixa-la agir por uns quinze minutos e após isso removê-la. Deve-se tomar cuidado na hora da aplicação, realizando toques suaves para espalhar a máscara e, assim, não ocasionar irritações na pele, devido sua consistência mais áspera.

Refletindo um pouco: Quando chove, caem pequenas gotas nas pétalas porosas da flor e formam um feixe de água que a limpam. Como fazemos com a pele ao retirar as impurezas com os rolinhos.

Abusem das flores!!

Para saber mais, acessem www.roselisiqueira.com.br ou @roselissiqueira.

Bjs, Roseli Siqueira

,

As manchas da pele


05 • 07 • 2018
por Clarissa Rittes

Olá meninas!!!

Hoje vamos falar um pouco sobre manchas. As manchas na pele podem acontecer em qualquer idade e em todo tipo de pele. As causas são diversas : manchas pôs inflamatórias (resultado da inflamação da pele que pode cicatrizar formando manchas, como as manchas de acne, axilas e buço pôs depilação, etc); doenças como a Melasma, por exemplo; o fotodano proveniente do dano solar cumulativo, entre outras causas.
As manchas mais comuns são as causadas pelo sol. Elas  costumam aparecer anos após a exposição solar A longo prazo, a luz do sol se acumula na pele e danifica as células que produzem o pigmento. Essas passam a produzir pigmento de forma desorganizada e aí aparecem as manchas solares. É importante lembrar que nos dias frios e chuvosos, a luz UVA também está presente e causa o fotodano. Por isso, mesmo as pessoas que dizem que “ não tomam sol” , podem ter fotodano, pois todos nós estamos expostos à luz de forma geral.

Desta forma, o uso de protetor solar é essencial, diariamente, para que esse fotodano pare de se acumular na pele. Além do dano em forma de manchas , o fotodano aparece também em forma de vasinhos, que se proliferam embaixo da pele e vão se acumulando. Por isso, é comum as pessoas terem a impressão que “do dia pra noite” apareceram muitas manchas, pois elas vão aparecendo aos poucos e, junto com os vasos, podem até dar uma aparência alaranjada na pele.

O tratamento consiste em tópicos clareadores e antioxidantes, como a vitamina C, por exemplo, além de protetores solares e tratamentos mais profundos como laser e luz pulsada, tanto para tratar as manchas como os vasos. Além disso, peeling e microagulhamento quando bem indicados, ajudam muito, tanto na pigmentação como na produção de colágeno.

Para melhores resultados, é essencial que um médico dermatologista seja consultado, pois apenas ele saberá qual a melhor forma de cuidar da sua pele. Parâmetros de aparelhos corretos, associações e escolha de tratamento são essenciais para um bom resultado, pois um tratamento mal indicado ou um parâmetro errado, podem causar consequências sérias como cicatrizes e queimaduras.

Espero que gostem das informações e se cuidem!

Beijos e até a próxima coluna,

Dra. Clarissa Rittes

Para mais informações: Tel:. (11) 3045-4167 | IG: @clarissarittes

,

Como Cuidar Da Pele Do Rosto Durante O Inverno | Tratamentos Ideais


28 • 06 • 2017
por Clarissa Rittes

Olá meninas!!

Continuamos no tema, tratamentos ideais para fazer no inverno.

Devido a menor incidência de radiação solar no inverno, a estação é ideal para fazer tratamentos que não podem ser feitos com a pele bronzeada ou que merecem um cuidado especial no pós. Não é proibido fazer esses tratamentos durante o verão, porém, o cuidado no pós deve ser redobrado e a pele não deve estar bronzeada.

Hoje vou falar do microagulhamento seguido por peeling, tratamento excelente para estímulo de colágeno, redução de linhas, cicatrizes de acne e manchas.

Enquanto o microagulhamento promove uma intensa produção de colágeno, fatores que estão presentes no sangue também estimulam a cicatrização. Após o microagulhamento, aplicamos um protocolo de peelings, específicos para cada paciente. Existem peelings para cicatrizes, estrias, manchas, melasma  e para produção de colágeno. As substâncias escolhidas penetram mais na pele uma vez que ela foi previamente perfurada e a barreira cutânea foi rompida (em peles intactas, uma porcentagem muito pequena das substâncias aplicadas consegue penetrar, pois uma das funções mais importantes da pele é a proteção e impermeabilização).

Quando aplicamos um peeling superficial médico, basicamente estamos colocando uma substância que reage com a queratina da pele e a faz descamar, causando renovação e removendo os componentes superficiais, como: manchas epidérmicas, exceção de oleosidade e queratina.

Já no peeling pós agulhamento, aplicamos substâncias específicas para agir na epiderme profunda e derme (camadas mais profundas, onde cremes e peelings superficiais NÃO chegam), atingindo resultados importantes, pois com a perfuração prévia da pele, os ativos penetram mais. Sem contar que quando microagulhamos, estimulamos a cicatrização e promovemos uma produção de colágeno muito maior do que a promovida por cremes, tendo assim, uma ação epidérmica e dérmica.

Cada queixa de pele tem uma indicação diferente, tanto de peeling quanto de profundidade e intensidade do microagulhamento. A escolha da profundidade que as agulhas perfuram depende da condição/ estado da pele. Em algumas patologias como cicatrizes de acne, escolhemos agulhas mais profundas, já em peles manchadas ou quando buscamos somente a nutrição e estímulo de colágeno em peles jovens, usamos agulhas menores e fazemos uma perfuração mais superficial. É preciso ter muito cuidado, pois a agulha errada, os movimentos equivocados e a escolha incorreta dos ativos (assepsia inadequada) podem causar sérias complicações como hiperpigmentação, cicatrizes e até infecção.

Por isso, é muito importante que o procedimento seja realizado com médico dermatologista  Parece simples, mas cada detalhe é importante. Existem diferentes formas de microagulhar e diferentes comprimentos de agulhas. O limite de cada pele, exige um conhecimento que apenas um médico especialista pode ter.  A técnica correta e escolha certa dos produtos pôs procedimento são fatores muito importante que determinarão um resultado excelente ou um resultado pobre ou, ainda, uma complicação.

O downtime (tempo de recuperação), depende da profundidade do agulhamento e das substâncias escolhidas, variando entre 2 a 15 dias. Nesse período, a hidratação e proteção solar são muito importantes parar o sucesso do tratamento. No caso de manchas, quando há também componente vascular, é importante associar o tratamento a laser para os vasos. Ainda em relação às manchas, é importante lembrar que não existe cura, uma vez que se o paciente se expor ao sol sem proteção (mesmo o sol do dia a dia) a mancha vai voltar. Assim como todos os outros tratamentos existentes hoje para manchas, conseguimos remover o pigmento, mas não ” consertar” a célula que produz o pigmento de forma desorganizada, ou seja, quem tem mancha, tem que cuidar para sempre, pois se houver qualquer tipo de exposição solar, a mancha consequentemente irá voltar. Por isso, mesmo que o dia esteja nublado e frio (existe ainda sim radiação uv- A) ou, às vezes, só o calor (radiação Infravermelha), é possível também escurecer as manchas. Atualmente, existem protetores solares com proteção contra o calor também, dificultando a volta das manchas.

Consulte seu Dermato, e lembre se, o inverno é a estação do ano ideal para procedimentos com ” downtime“, uma vez que durante esse período a pele não deve ser exposta à radiação solar. Porém, ainda que nessa estação do ano a radiação seja menor, ela está presente, por isso, não podemos dispensar o protetor solar.

Espero que tenham gostado, e consultem o Dermato de vocês , vamos aproveitar o friozinho para chegar no verão com a pele deslumbrante.

Beijos e até a próxima coluna, Clarissa Rittes.

Para mais informações: Tel:. (11) 3045-4167 | IG: @clarissarittes

 

página 1 de 3