,

Musculação para crianças | Regras e Benefícios


12 • 11 • 2018
por Equipe Pink Fit

Olá meninas, tudo bem?

Crianças podem fazer treinamento de força desde que seja bem feito, com exercícios sendo executados com a técnica correta, supervisão de um profissional da área e respeitando as variáveis de intensidade para cada grupo específico, de acordo com a idade.

A musculação é uma das atividades físicas mais segura que existe, sendo que a maioria das lesões caudadas em academias ocorrerem por acidentes. Quando há orientação, o risco de lesões é bem menor comparado a esportes coletivos e de impacto como basquete e futebol, por exemplo.

Melhora a postura e se a criança aprender a treinar de forma correta, terá menos lesões na vida adulta e menos chance de se tornar sedentária.

O treinamento de força ao contrário do que se imaginava antigamente, não atrapalha o crescimento. Isto porque,não há calcificação da epífise, que é a parte cartilaginosa do osso e a mais flexível. Ao contrário, estudos demonstram que ganham até 1 cm a mais de estatura aqueles que participaram de uma intervenção de 8 semanas de treinamento comparado a um grupo controle.

O ganho de massa muscular também é mais significativa em praticantes de musculação, pois sabemos que atividades mais intensas estimulam hormônios do crescimento, mais produção de colágeno e mais efeitos anabólicos que independem da testosterona,  que ainda é baixa em crianças.

Prepara o corpo e forma uma base para outros esportes e atividades, sendo complementar para atletas que chegam a ter um índice de lesão de 22,6% contra 72,4% que não praticam a musculação e se recuperam mais rápidos, com apenas dois dias comparados a cinco dias com os não praticantes.

A musculação para crianças deve ser mais do que uma busca por um corpo esteticamente admirável. O intuito principal deve ser tornar-se ativo, mais forte e ser mais saudável.

Nós, da a Pink Fit Training sabemos da importância da musculação para todas as idades e, nem por isso, deixamos de lado o momento lúdico, divertido em nossos treinos. Para que as capacidades físicas voltadas à saúde sejam tão boas quanto às habilidades voltados aos gestos esportivos.

Contem conosco!

Beijos

Equipe Pink Fit

Contato @pinkfittraining | www.pinkfit.com.br | contato@pinkfit.com.br| Tel.: (11) 98274-3422

,

Treinamento Personalizado | Benefícios e Resultados


29 • 10 • 2018
por Equipe Pink Fit

Oi meninas, tudo bem?

É muito importante ter um treino personalizado justamente por conta da sua individualidade. Seu biotipo, nutrição, rotina e trabalho são diferentes e únicos. Logo, seu treino também deve ser específico. Sem contar com diferentes objetivos e metas que você deseja alcançar, seja hipertrofia muscular, emagrecimento, melhora da resistência cardiovascular, melhora das aptidões físicas voltadas para a saúde ou manutenção de massa magra.

E só um profissional de educação física qualificado para supervisionar de perto um programa de treinamento eficiente e específico. Porque, além de considerar seu perfil, o profissional de educação física domina diferentes áreas do conhecimento da saúde como fisiologia, biomecânica, bioquímica, anatomia, fisiologia, periodização de treinos, avaliação física, pedagogia, comportamento motor, entre outras matérias e conteúdos que são essenciais para se promover saúde e atingir os melhores resultados.

Um bom profissional de educação física saberá controlar velocidade de execução do movimento, intervalo entre séries, ângulo de movimento, ajustar carga, maior segurança para a sua saúde. Poderá acompanhar melhor seu progresso, modificar os exercícios imediatamente, se perceber que o nível de exigência está abaixo do esperado para você por meio de uma progressão ou adaptando os exercícios que seu corpo ainda não está preparado para fazer, evitando possíveis lesões.

Assim, você terá para maior aderência ao treino já que a intensidade estará adequada para você.

Para se ter uma ideia da importância do personal, os seguintes estudos demonstraram que o grupo que teve mesmo treino, porém um acompanhado de forma mais próxima, teve aumento de força de 5,68% e 10,4% para membros superiores e inferiores, respectivamente, comprado a pessoas que dividiam o mesmo profissional de educação física com mais 20 praticantes, realidade muito presente nas academias.

Outro estudo demonstra que com o personal, o ganho de força, potência muscular, massa magra e perda de gordura são maiores comparada a grupos de pessoas treinadas, porém, sem acompanhamento, mesmo quando o treino era igual. Ou seja, mesmo os estudos que analisaram apenas a presença do personal trainer sem modificação de treinos tiveram ótimos resultados. Imagina se for específico par você!

Outro fator que garante o sucesso do treino personalizado é a flexibilidade de horário, local que se encaixam na sua rotina, maior incentivo, motivação e você não terá desculpa para não vencer a preguiça. E se o acompanhamento não fizesse diferença atletas e esportistas competidores não teriam treinadores e técnicos para melhora da performance.
Por tudo que já foi demonstrado, você percebeu que não adianta montar seu próprio treino, copiar de alguém ou seguir somente dicas da internet. Isso traz risco a sua saúde e impossibilidade de se obter resultados melhores. Fale conosco, a Pink Fit Training tem as melhores profissionais especializadas em treinamento feminino em resultados!

Contem conosco!

Beijos

Equipe Pink Fit

Contato @pinkfittraining | www.pinkfit.com.br | contato@pinkfit.com.br| Tel.: (11) 98274-3422

,

A Dermatite Atópica


19 • 10 • 2017
por Clarissa Rittes

Olá meninas!

Essa semana vou falar sobre um tema que muitas pessoas me pediram  para abordar, a Dermatite Atópica. Trata-se de uma doença que causa uma disfunção na barreira cutânea. Por uma alteração da estrutura da epiderme, a pele do atópico perde mais água para o meio, ou seja, fica sempre ressecada. E pele ressecada,  coça. Além disso, existe uma alteração na resposta inflamatória do paciente acometido, o que causa uma liberação de fatores pró inflamatórios, favorecendo uma exacerbação da resposta infecciosa.

Pelo fato da barreira cutânea estar comprometida, todas as moléculas do meio ambiente penetram mais na pele, ativando a reposta inflamatória que já está alterada na doença. E, ao coçar a pele seca, ela fica mais propensa a fazer machucados e também a ser atacada por microorganismos como bactérias, vírus e fungos. Isso faz com que o contato com algumas substâncias cause crises de atopia.

Na pele, essas se manifestam com muita coceira e lesões avermelhadas, descamativas. Muitas vezes, soltam líquidos que, com o tempo, vão deixando a pele com aspecto espesso e escurecido. Outras manifestações: manchas brancas (ptiriase Alba), bolinhas no braço (ceratose folicular), parecidos com mini cravos, linhas profundas abaixo dos olhos, além de descamação e vermelhidão, espessamento e aprofundamento das linhas das mãos e pés, entre outras alterações.

Na grande maioria dos casos, a doença começa logo no primeiro ano de vida e quase sempre se inicia durante a infância (dermatite atopica que inicia após a infância e muito raro). A doença costuma seguir um curso nos 2 primeiros anos de vida. As lesões são mais comuns no rosto, pescoço e tronco, e costuma poupar a área da fralda. Já na segunda fase da doença a pele em geral fica muito ressecada e as lesões costumam ser eczemas (lesões vermelhas que podem ficar úmidas ou com casquinhas e podem formar feridas ao serem coçadas) e costumam acometer as dobras internas dos joelhos, cotovelos , mas também podem aparecer em outras áreas.

Após os 12 anos, a maioria dos doentes tem uma remissão importante mas, mesmo assim, sua pele costuma ser sempre seca. Em quem a dermatite persiste, as lesões costumam se tornar liquenificadas, ou seja, a pele fica espessa e coça muito. É comum a dermatite atópica se manifestar junto com rinite e asma, outras formas de atopia. A condição tem componente genético, geralmente existem mais acometidos em uma mesma família.

A doença deve ser cuidado pelo dermatologista, pois é uma doença crônica que deve ser tratada com medicações tópicas em casos leves e, em casos moderados e graves, usamos também medicação via oral. É imprescindível para o controle da doença a hidratação constante da pele, de preferência com a pele úmida e sempre com o produto correto. Evitar banhos quentes  pois aumentam o ressecamento da pele, restringir sabonetes a algumas partes do corpo como mãos, pés, axilas e áreas genitais, escolher produtos de limpeza menos agressivos para outras áreas como sindets, além de evitar outros fatores de exacerbação, como muito calor, muito frio, suor em contato com a pele, sol sem proteção adequada, ácaros e pólen, contato com animais peludos, tecidos sintéticos e lã, entre outros fatores que podem irritar a pele como poluição .

A dermatite atópica ainda não tem cura, mas quando bem tratada pode ser controlada.

Consulte seu dermatologista sempre e não esqueça que na dermatologia muitas doenças se manifestam de forma similar. Por isso, para fazer o diagnóstico, o médico precisa ser consultado.

Ótimo final de semana a todas e na próxima coluna vou falar sobre tratamentos que estão por vir ❤️.

Beijos,

Dra. Clarissa Rittes

Para mais informações: Tel:. (11) 3045-4167 | IG: @clarissarittes

página 1 de 2