,

Você vive no corre-corre? Aprenda a viver em conexão com o momento presente


28 • 01 • 2019
por Janaína Leão

Oi meninas, tudo bem?

Já estamos na segunda quinzena de janeiro de 2019 e parece que foi ontem o Natal e o Ano-Novo, concordam?

“Conhecemos o mundo apenas pela janela da nossa mente. Quando a mente está agitada, o mundo também está. Quando a mente está em paz, o mundo também está. Conhecer a nossa mente é tão importante  quanto tentar mudar o mundo”(Haemin Sunim).

A vida adulta é agitada. É necessário equilibrar vida familiar, trabalho, atividade física, vida social, lazer, e, quando percebemos, lá está a segunda. Todavia, o que devemos fazer é dar sentido para todas as atividades, viver o presente – aqui e agora, sentir o motivo, a intensão – enfim, conectar-se.

Aquela história de piloto automático já é passado. A cada dia, independentemente da sua rotina, você pode – aliás, deve – buscar equilibrar prioridades e necessidades, buscando sempre a conexão.

 

Veja bem: quando algo o incomoda, o problema está na forma como você enxerga o que acontece. O SEU mundo lhe pertence e a forma como você vê a sua vida é singular. Quando estiver atarefado ou estressado, tenha consciência e assuma sua responsabilidade. Quando você faz isso, aciona a razão e assim tem mais recursos para enfrentar qualquer coisa.  Evite deixar um pensamento fantasioso criar asas.

Mas como assim?

  • Quando for tomar banho, foque na atividade de banhar-se. Sinta a água no seu corpo. Por acaso, você sabe qual é o cheiro do seu shampoo e condicionador? Ah! E do seu sabonete?
  • Quando for tomar café, almoçar, lanchar ou jantar, mastigue bem os alimentos, sinta o gosto. Escolha seus alimentos com consciência e não por emoção. Sinta o gosto, o cheiro, mastigue-os. Busque descansar os talheres no prato enquanto mastigar. Tenha consciência do que está fazendo e conecte-se.
  • Se for levar o filho na escola, aproveite o momento para conversar com ele. Faça perguntas, conte como será seu dia. Deseje uma boa aula, abrace-o.
  • Quando surgir imprevistos, entenda que coisas assim acontecem diariamente com milhares de pessoas e fazem parte da vida. Busque resolver, em vez de penalizar os outros ou a si próprio.
  • Leia um livro, determine número de páginas diárias.
  • Quando fizer atividade física, sinta o músculo que está sendo exercitado; inspire e expire.
  • Ao dirigir, fique atento ao trânsito; quando parar nos semáforos, olhe seu entorno, observe.
  • Escute músicas que você ama, conecte-se com a letra, sinta a vibração no corpo.
  • Escreva suas atividades e faça uma de cada fez, evite realizar muitas ao mesmo tempo. Fazer muitas coisas simultaneamente aumentará a sua exaustão. Além disso, o cérebro não consegue se concentrar com muitas coisas ao mesmo tempo.
  • Quando estiver com sua família ou amigos, esteja com eles e não com o celular na mão.
  • Quando estiver se sentindo agitado, retome a posição inicial do sentir e conectar-se, não importa qual seja a atividade. Quando nos conectamos, minutos parecem horas. Já quando estamos desconectados de nós mesmos, horas parecem minutos.

Equilibrar não é deixar de fazer as atividades, e sim escolher aquilo que é prioridade e importante, afinal, em um mundo 24h on-line, podemos fazer INÚMERAS coisas. Cabe a você escolher o que faz sentido na sua vida. Evite o piloto automático, pois ele apenas executa.

Fez sentido? Compartilhe com alguém que precisa desacelerar e dar sentido para TODAS as atividades.

Um beijo,

Janaína Leão

@psicologa_janainaleao   |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br

,

O que é vínculo?


15 • 08 • 2018
por Janaína Leão

Olá meninas, tudo bem?

Você sabia que muitos problemas psicológicos, tais como dependência afetiva, insegurança e angústia têm ligação com aquilo que você viveu, viu, ouviu e sentiu no decorrer da sua infância? A dinâmica da sua família, a forma como todos expressaram sentimentos de cuidado, controle, rigidez ou falta de limite, tudo influencia a forma como você se vincula.

Mas, o que é vínculo? 

Vínculo é ligação, laço, elo, conexão… Vincular-se é se relacionar, eternizar momentos, criar intimidade, dar espaço para o outro ser ele mesmo, independente do seu desejo. Criar vínculo não é aprisionar, ter controle ou posse. O vínculo é uma linha tênue imaginária que une pessoas, não apenas em relacionamentos amorosos. É confiança, segurança, apoio e base em qualquer relação.

O vínculo é a base para os relacionamentos evoluírem. Sabe aqueles amigos que você não vê com frequência, porém quando os encontra é como se os visse todos os dias? Às vezes você não tem nem notícias da pessoa e, quando a encontra, poucas horas são suficientes para estarem próximos, como se nunca tivesse havido qualquer separação. É disso que estamos falando.

Seus relacionamentos, sejam eles pessoais ou de trabalho, geram vínculos? Você cria um espaço acolhedor e empático?

Imagino que muitos estão pensando: afinal, como se cria vínculo? Aqui o que conta é a sua resposta, pois você precisará levar em conta tudo aquilo que aprendeu, viveu e sentiu na sua infância. Como é o seu vinculo com seus pais, irmãos, tios, primos, avós, amigos, colegas, vizinhos etc.? Se olhar para os relacionamentos de trabalho, amizade e amor dos seus pais, o que você enxerga? São pessoas que criaram intimidade com os outros? Você as vê mais fechadas? Mais amorosas? Rígidas, severas e com distanciamento? Amáveis, acolhedoras, incentivadoras? São pessoas que dão segurança ou são pessoas controladoras? Exercem autoritarismo ou autoridade?

Como se vê, são muitas as variáveis na equação, mas fazendo essa breve analise é possível compreender como você cria vínculo com o outro.

Crie relacionamentos que tenham conexão, ligação e laço. Aquilo que dá nó sufoca, espreme e está mais próximo de controle ou dependência. Nos relacionamentos em que os vínculos são saudáveis geralmente as pessoas convivem muito bem, pois o nível de confiança e segurança é equilibrado, possibilitando que o outro faça suas escolhas e não tenha medo de expressá-las.

O vínculo é aprendido e construído ao longo da vida. Se você não teve uma base familiar e emocional sólida, busque ajuda profissional, entenda sua história e desenvolva-se.  Sabe por quê? Porque vínculo é vida!

Beijos e até a próxima!

Janaína Leão: Psicóloga e Coach

@psicologa_coach   |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br