,

Segundo trimestre da gestação (de 13 a 28 semanas)


19 • 06 • 2018
por Equipe Pink Fit

Oi meninas, tudo bem?

Dando continuidade à coluna de 16 de abril que abordava o primeiro trimestre da gestação e atividade física, hoje falaremos um pouco sobre o segundo trimestre da gestação, conhecida por muitos como a fase de lua de mel da gravidez. Chamada assim, porque geralmente os enjoos já cessaram, a barriga de grávida está bem aparente – comparado ao semestre anterior -, você tem mais disposição e, no finalzinho desse semestre, o bebê começa a se mexer e interagir mais com as mamães.

Porém, nem tudo nessa fase são flores. Há um retardamento gástrico pelo relaxamento da musculatura do trato intestinal que causa azia e diminui as secreções gástricas e evacuação. Além disso, os seios ficam mais sensíveis e a pele pode ficar hiperpigmentada, causando escurecimento de auréolas e melasmas faciais.

Devido ao aumento do tamanho da barriga, do bebê e do peso, tanto a postura quanto o equilíbrio ficam comprometidos. Assim, os exercícios mais trabalhados são aqueles que dão ênfase no fortalecimento do assoalho pélvico, abdômen (principalmente o transverso abdominal), paravertebrais e glúteos associados a correção postural.

Durante os exercícios, não é indicado fazer exercícios em decúbito ventral (barriga para baixo), por causa do desconforto, nem exercícios em decúbito dorsal (barriga para cima) por mais de quatro minutos. Se necessário, poderá ser utilizado um suporte para elevação de tronco, sempre tomando cuidado com a compressão da veia cava.

Como dito anteriormente, locais instáveis e com altitude devem ser evitados, pois há mudanças no equilíbrio da gestante. Por isso, recomenda-se mudar de posição de forma mais lenta e segura.

Sem falar, na maior exigência cardiorrespiratória. O coração precisa trabalhar duas vezes mais para bombear mais de seis litros por minuto, com aporte sanguíneo 50% maior para o úteros e 25% maior para os rins. Por isso, recomenda-se realizar exercícios cardiovasculares e de força, mas que estejam dentro de uma frequência cardíaca segura, ou seja, em torno de 140 batimentos por minutos.

Outro ponto importante para se ressaltar são os exercícios de abdominais, que em alguns casos, não se realiza flexões torácicas por conta do aumento de diástase que atinge duas a cada três gestantes.

Por todas estas restrições, o melhor é você treinar com um profissional de educação física que entenda de treinamento físico para gestante. Nós, da Pink Fit Training, queremos que você tenha o máximo dos benefícios do exercício físico com total segurança, para que você passe da melhor foma por esta fase tão maravilhosa pra você e seu bebê.

Beijos

Equipe Pink Fit

Contato @pinkfittraining | www.pinkfit.com.br | contato@pinkfit.com.br| Tel.: (11) 98274-3422

,

Peças de Parta | Dicas de Ouro!


18 • 06 • 2018
por Carol Rosa

Olá, pessoal, olha eu aqui de novo!

Estava ansiosa para dar essas dicas! O frio está batendo na porta e eu (não sei vocês) adoro fazer jantares e almoços em casa nessa época do ano.

Hoje, vou falar, então, de como manter as peças de prata em ordem e brilhando! Elas dão charme, refinamento e um toque de classe em qualquer recepção, mas os cuidados são essenciais antes e depois do uso. Quer fazer bonito na festa? Então anote essas dicas para deixar as baixelas, faqueiros, castiçais e travessas de prata sem riscos ou marcas de oxidação.

Primeiro :

Tire as peças do armário e lave-as com sabão neutro e esponjas macias, aquelas que não riscam. Seque-as sempre com um pano bem macio e que não solte fiapos. Se a lavagem não for necessária, passe apenas uma flanela ou toalha macia.

Mas essas recomendações só valem se as peças estiverem guardadas adequadamente. Se houver marcas de oxidação, é hora de investir em produtos específicos. Há vários disponíveis no mercado.

Teste algumas marcas e veja qual você se adapta melhor. Só que escolha sempre uma escova, esponja ou tecido macio (estou frisando isso porque é importante mesmo) para ajudar nessa missão. E atenção: leia sempre as instruções para não danificar os utensílios.

No geral, a prata esterlina – aquela peça feita só de prata mesmo – é fácil de limpar. Mas alguns produtos vendidos como prata, às vezes, têm um percentual de outros metais e aí o esfrega-esfrega pode ser um pouquinho mais longo e difícil.

O ideal é fazer esse processo uma vez por ano. Já se você costuma deixar algumas peças expostas na decoração da casa, a limpeza deve ser feita a cada 15 dias. E aí, não tem jeito: elas vão oxidar e, quanto maior a frequência da limpeza, mais fácil ficará!

Na hora de guardar:
São necessários cuidados extras. Como a prata perde o brilho e a cor em contato com o oxigênio, o ideal é que cada utensílio seja guardado separadamente em sacos plásticos amarrados com fitas, deixando a embalagem o mais fechada possível. Quanto menos espaço para o ar entrar, melhor! Para quem prefere investir um pouco mais, outra opção é aquela embalagem de feltro própria para guardar pratas e que ainda ajuda a conservar o brilho.

Outras dicas também importantes são:

Não lave a prata com outros tipos de louça e metais, isso pode riscar a peça, e saiba que a lava-louça é proibida! Os produtos usados na máquina podem ser muito agressivos e danificar os seus utensílios.

De resto, é só preparar uma mesa de tirar o fôlego, com aquele requinte e sofisticação que só as peças de prata podem dar ao seu evento! Boa festa!

Até mês que vem!

Carol Rosa | Personal Organizer

carol@carolrosa.com.br

11 98899 9270 | 11 96060 6056

www.carolrosa.com.br

,

O que é Transtorno de Déficit de Atenção | Hiperatividade? 


18 • 06 • 2018
por Janaína Leão

Oi meninas, tudo bem?

Não conseguir focar em algo ou não concluir uma atividade não significa que você tem Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade – TDA/H. Diferencie aquilo que é prioridade e você consegue concluir, daquilo que você não gosta de fazer e procrastina.

Seguidamente, escuto: “será que não tenho TDA/H?  Muitas vezes é mais fácil dar o nome de uma psicopatologia a um comportamento do que enfrentar uma situação, conhecer as crenças (ir)racionais e criar estratégias para lidar com ela.

Antes de explicar sobre TDA/H, vamos fazer uma combinação, certo? Jamais se diagnostique; não temos essa capacidade, mesmo que sejamos um profissional da área. Isso limita seu desenvolvimento e acaba te autossabotando.

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – DSM-5, o TDA/H se destaca por um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade, que interfere no funcionamento e no desenvolvimento da pessoa.

 Para a desatenção, seis ou mais dos seguintes sintomas persistem por pelo menos seis meses: geralmente não prestar atenção em detalhes, negligenciar e cometer erros por descuido; dificuldade de manter a atenção em aulas, reuniões, conversas ou leituras prologadas; não conseguir escutar quando alguém lhe dirige a palavra diretamente; iniciar tarefas e dificilmente as terminar; dificuldade de manter a ordem, seja no trabalho ou na vida pessoal, bem como de cumprir prazos; mau gerenciamento do tempo – frequentemente não gostar de realizar tarefas ou reluta em se envolver com as que exigem esforço mental; perder objetos pessoais ou do trabalho; distrair-se por estímulos externos e ter dificuldade de organizar as atividades cotidianas, como pagar contas, manter horários agendados, realizar tarefas e obrigações.

Para a hiperatividade e impulsividade, seis ou mais dos seguintes sintomas persistem por pelo menos 6 meses: com frequência remexer ou batucar as mãos ou os pés ou se contorcer na cadeira; seguidamente se levantar da cadeira em situações em que se espera que permaneça sentado; correr ou subir nas coisas em situações inapropriadas; ter dificuldade para brincar ou se envolver em atividades de lazer calmamente; dificilmente parar, estar sempre fazendo alguma coisa;  falar demais, a ponto de dar a resposta ou completar a pergunta do outro – interromper e se intrometer; ter dificuldade de esperar a sua vez.

A maioria das pessoas com TDA/H já manifestaram alguns dos sintomas listados acima até os 12 anos de idade.

O TDA/H está associado a desempenho escolar e sucesso acadêmico reduzidos, rejeição social e, nos adultos, a piores desempenho, sucesso e assiduidade no campo profissional e maior probabilidade de desemprego e existência de muitos conflitos interpessoais.

Se você se identificou com algum dos pontos acima, busque ajuda profissional e faça uma avaliação específica para TDA/H. Tem tratamento!

Beijos e até a próxima coluna,

Janaína Leão: Psicóloga e Coach

@psicologa_coach   |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br

página 1 de 263