,

Família: Qual Seu Ciclo Evolutivo?


23 • 04 • 2018
por Janaína Leão

Olá meninas, tudo bem?

Se você quer entender determinados padrões de pensamento, atitudes, comportamentos, crenças, formas de se relacionar, amar e etc., entenda como foi o seu convívio familiar, o que você aprendeu, o que foi dito,  visto, ouvido, sentido e qual é o seu ciclo de vida atual.

Família não é uma expressão passível de conceituação, mas sim de descrição, que envolve cultura, ambiente social e também influências genéticas. Cada família tem seu movimento e estrutura.

Não existe uma família que não tenha problemas. O que distingue uma família saudável de uma disfuncional não é a ausência de problemas, mas a forma como se enfrentam as dificuldades e como é organizado seu sistema de apoio.

 Todos nós passamos por ciclos evolutivos, e reconhecê-los fortalecerá o vínculo familiar e nos preparará para novas etapas, novos obstáculos e novas superações.

A fase de aquisição familiar inicia com a união do casal e vai até o início da adolescência dos filhos. Essa etapa também é de muito aprendizado, troca, discussão, dúvida, insegurança, incerteza… É um momento em que o casal está construindo a sua conjugalidade e o seu espaço.

Com a chegada dos filhos, o casal se reencontra de outra forma, e novamente precisará reconstruir a relação, dividir tarefas e viver o novo ciclo de forma compartilhada.

Já a fase adolescente é compreendida por um período de profundas transformações pessoais e relacionais de pais e filhos, e se caracteriza pelo questionamento de crenças, regras e valores. É quando os filhos estão na adolescência e, consequentemente, os pais também, vivenciando e relembrando situações vividas por eles mesmos. Também é necessário se readequar e entender o momento.

A fase madura é quando os filhos atingem a idade adulta. Com isso, a família passa a vivenciar o período de maturidade; o relacionamento entre pais e filhos passa a ser de independência, com estes tendo capacidade de gerenciar as próprias vidas. Nessa altura, os filhos realmente percebem o envelhecimento dos pais, algumas dificuldades cognitivas ou até mesmo físicas. O nível relacional é de muita maturidade, acolhimento, e o vínculo tende ainda a se fortalecer.

Por fim, a fase última caracteriza-se pelo envelhecimento dos pais e por transformações na estrutura familiar. É normalmente nela que um dos cônjuges fica viúvo. Aqui entra um ponto importante: se as relações foram bem desenvolvidas nas etapas anteriores, geralmente o sistema consegue se adaptar às novas demandas que a fase última apresenta.

Em qual ciclo você se encontra? Conhecê-lo vai ajudá-lo a compreender suas dificuldades, inseguranças e lhe trará muitos aprendizados. Negar um ciclo é prorrogar uma dor. Vivê-lo plenamente é a melhor opção.

Aproveite a sua família, entenda suas dificuldades e seja um agregador, não apenas um crítico.

Família é a base de todos os sentimentos. Nela aprendemos, sentimos e experimentamos o que o mundo oferece. Família é vínculo de amor, não só de sangue, mas de coração e alma.

Janaína Leão: Psicóloga e Coach

@psicologa_coach   |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br

Comente