,

Minha Primeira Meia Maratona | Um Grande Desafio


06 • 02 • 2018
por Gisela Saback

Meninas, bom dia,

Estava um pouco sumida em razão do volume de trabalho do final do ano, mas agora estou de volta e com pique total. Aproveitando que falta apenas 1 mês para Meia Maratona de Paris, vou contar para vocês como começou essa brincadeira toda.

Nunca fui corredora, corria apenas por hobby os meus 5, 7, no máximo 10km. Tenho pré-disposição para o esporte, desde pequena amava educação física na escola e já pratiquei todas as modalidades possíveis, de ballet, handball à natação, porém nunca me dediquei 100% a nenhum deles. Na adolescência, me incomodava com meu corpo assimétrico. Ombros muito largos, pernas muito finas, gordurinha localizada na barriga, por isso entrei para a academia e nunca mais deixei de ir.

Apesar de amar fazer musculação, sentia falta de um time, uma equipe, um propósito de treinamento. Sempre amei trabalhar com metas. Mesmo na musculação, eu crio algumas para enfatizar o foco e medir minha determinação. Se quero 2 kg de massa magra, corro atrás, e não me frustro quando não alcanço, pois sei que dei o meu melhor.

Ano passado enquanto jantava com uma amiga triatleta, ela comentou sobre a Meia Maratona de Paris e meus olhinhos já começaram a brilhar. Como eu nunca corri longa distância, 21 km parecia impossível. A corrida para mim, sempre foi uma modalidade prática: um par de tênis e posso me exercitar em qualquer lugar do mundo. Correr é minha principal alternativa quando não tem academia por perto.

Bom, quando a conversa foi chegando ao final, já tínhamos um projeto: Meia Maratona de Paris com a Paty Birman, a minha amiga, dona de uma marca de gym wear. E não é que o projeto saiu do papel? Já já  embarcaremos para Paris neste novo desafio.

Já estamos na reta final dos treinos. O Thiago Vinhal, um dos melhores triatletas do Brasil (e do mundo), topou o desafio de treinar três mulheres, não atletas, sem experiencia com provas longas, mas com um lifestyle saudável e amor pelo esporte. A maior preocupação dele era que o processo fosse divertido, leve e que as pessoas pudessem se inspirar e compreender que todos somos capazes.

Os treinos semanais foram divididos em treinos de tiros, um longo (de 1h20min a 1h30min), funcional e musculação. Apenas correr todos os dias da semana não adianta. Ter um profissional qualificado da área para acompanhamento é fundamental, pois você simplesmente confia, com a consciência de que não vai lesionar e que está dando seu melhor para obter o máximo de rendimento no dia da prova.

Mais do que preparo físico, mudei minha cabeça. Mente e corpo definitivamente estão interligados e, quando caminham juntos, potencializam qualquer performance. Diminuí minha ansiedade, consegui escutar meu corpo, minha respiração, melhorei minha pisada, atentei para o movimento dos braços e condicionei minha mente para o foco e concentração na corrida.

Continuem acompanhando os treinos e a reta final desse desafio incrível. Não hesitem em se desafiar e criar metas pessoais. São elas que nos impulsionam, servem como combustível para alcançarmos tudo aquilo que desejamos. Tudo em nossa vida fica mais claro quando estabelecemos um propósito e lutamos por ele. Não precisa ser algo impossível. Não importa se o objetivo é correr 5, 10, 21 ou 42 km, ou se é criar assiduidade na academia, o importante é assumir um compromisso e jamais se boicotar. No final do dia o que conta, mais do que o resultado, é determinação, a entrega e a dedicação.

Beijocas

Gi Saback

@giselasaback

Comente