,

Hérnia de disco


23 • 10 • 2017
por Equipe Pink Fit

Olá meninas, tudo bem?

O texto é da professora Tayna Santos.

A hérnia de disco ocorre por conta de cargas compressivas ou cisalhamento causados por movimentos bruscos ou repentino que deslocam o núcleo pulposo (material de consistência gelatinosa que fica dentro dos discos vertebrais) e ultrapassa o anel fibroso, atingindo a placa terminal vertebral ou rompendo esta placa (hérnia extrusa ou sequestrada), podendo ser posterior (como na maioria dos casos) ou anterior.

O problema é que esta hérnia comprime excessivamente a raiz nervosa dos discos entre as vértebras, causando dormência, formigamentos ou fraqueza nos membros aferentes, além da dor proveniente do processo inflamatório, devido à presença de macrófagos, leucócitos que regeneram a área atingida. Entretanto, se engana quem acha que a hérnia de disco surge apenas a partir do episódio de travamento. Ela é resultado de uma série de acontecimentos e descuidados com a saúde no decorrer da vida, como fraqueza muscular, falta de postura correta, sedentarismo, falta de hidratação, fraqueza óssea e pouca mobilidade articular.

Os movimentos que devem ser evitados dependem do posicionamento da hérnia e mudam de indivíduo para indivíduo. Normalmente, como a maioria das hérnias são posteriores, os exercícios de flexão da coluna e aqueles associados a rotações não são os mais recomendados. Por este motivo, é necessário ter um profissional de educação física qualificado para atender casos de hérnia de disco, de acordo com a especificidade do aluno associados aos conhecimentos prévios da anatomia da coluna, de biomecânica e do mecanismo de lesão. Desta forma, o tratamento pela atividade física será muito mais eficaz. Porque o problema não é só a hérnia, mas os efeitos colaterais do repouso:

  • Atrofia muscular de 1 a 1,5% de perda de massa óssea por dia;
  • Descondicionamento cardiopulmonar com até 15% em 10 dias;
  • Desmineralização óssea;
  • Risco de trombolismo;
  • Efeitos psicossociais;
  • A hérnia de disco também prejudica o sistema de controle neural pela diminuição da perfusão cerebral, pois há um bloqueio de sangue e do líquido cefalorraquidiano que diminuem a atenção, foco, memória e tomada de decisão. Por isso, é preciso um profissional qualificado para saber o tipo de alongamentos certo para não diminuir a vascularização do nervo e prejudicar o controle neural.

Voltar a fazer exercício físico é fundamental para sua saúde, pois se o disco desidrata ou se desloca muito, todo o envolto fica prejudicado, causando instabilidade que geram mais lesões e fraqueza nos músculos e ligamentos.

Outro problema é o efeito “creep” que ocorre quando ficamos mais de duas horas em uma mesma posição (na maioria dos casos, seria o sentado com flexão lombar) e quando é solicitado um movimento diferente do costume, há uma certa resistência para realizar outro movimento, causando dores, porém diferente da dor acusada pela hérnia. Entretanto, para o indivíduo, essa dor não é identificado como diferente, logo ele entra em um padrão de movimento errado ou para de fazer exercício. Ou seja, o ideal seria trabalhar exercícios de retreinamento para ativar a musculatura profunda e estabilizadora pela correção postural, além de tratar a mobilidade para não piorar o caso e desenvolver disfunções. Além disso, procuramos sempre conscientizar o aluno sobre a importância da mudança de hábito, evitando a síndrome da postura errada através da prática da atividade física orientada para o seu tipo de caso e esquivando-se, assim, de todos os problemas associados a hérnia de disco e a falta de exercício físico.

Nossas professoras da Pink Fit estão capacitaras para trabalhar também com pessoas com hérnia de disco.

Beijos,

Equipe Pink Fit

Contato @pinkfittraining | www.pinkfit.com.br | contato@pinkfit.com.br| Tel.: (11) 98274-3422

Comente