,

Foco | Planejar para focar


18 • 09 • 2017
por Janaína Leão

Olá meninas!

O que você está pensando nesse exato momento? Você já deve ter percebido como a nossa atenção flutua e se dispersa ao longo do dia. Já comentei em outros textos, que temos de 40 a 60 mil pensamentos durante um dia e, destes, apenas 5% são conscientes.

Você já reparou que quando não temos claro o que temos para  fazer e, principalmente, como faremos, passamos o dia “fazendo” muitas coisas e, por vezes, deixamos o principal de lado? Já percebeu que na correria do dia a dia você deixou de prestar atenção em muitas coisas e fica no modo automático? Ex.: Acorda, toma banho, café, vai para o trabalho, faz atividade física, janta, mexe nas redes sociais e, ao mesmo tempo, conversa com amigos, familiares, escuta música, pensa em muitas coisas e não se lembra como foi o banho, qual o cheiro do shampoo, como escolheu a roupa, o que tinha no café da manhã – qual o gosto e etc. Quantas vezes você já ficou horas no celular mexendo nas redes sociais e não fez aquilo que era importante?

Bem, isso acontece quando não planejamos e nem organizamos o nosso dia.

Muito se fala em foco e afinal você sabe o que significa?

Foco é escolher uma atividade para executar com atenção – momento em que você para e faz o que se propôs. Para conseguir focar você precisa driblar as distrações sensoriais e emocionais, que Daniel Goleman destaca no seu livro chamado Foco. Ele defende o desenvolvimento de três tipos de foco: o interno, o externo e o empático (voltado para o outro):

  • O interno é a habilidade de se concentrar, apesar do que há ao redor.
  • O externo é a capacidade de análise do ambiente.
  • O empático é a competência de prestar atenção em alguém.

É fato, precisamos direcionar a nossa atenção e focar conscientemente naquilo que é importante para nós – nossos objetivos. Quando fazemos isso direcionamos nossa energia, a percepção fica mais aguçada e, por vezes, falamos: “nossa, nunca tinha reparado isso”. Um exemplo clássico é quando uma mulher decide engravidar e ela começa a perceber como tem mulheres grávidas a sua volta. Ou quando você quer abrir um negócio e começa a planejar e percebe que tem muitos negócios semelhantes. Tudo isso é foco. Ah! Isso também acontece para o negativo.

O foco determina a nossa realidade, porém cada pessoa enxerga e sente de uma forma e isso já deve ter acontecido com você. Exemplo: você foi a um show com amigos – cada um fará uma leitura do show –, todos foram no mesmo lugar, mas não tiveram a mesma sensação. Isso também é foco.

Como vivemos num mundo de multitarefas, desenvolver essa competência comportamental – foco é uma tarefa que requer muito treino e dedicação – é importantíssimo. A nossa capacidade de focar em tarefas diárias, desde as mais simples até as mais complexas, impactará nos resultados que estamos buscando para nossa vida profissional e pessoal. Vamos nos concentrar no agora e planejar, só assim seremos produtivos e teremos êxito.

Um beijo e até a próxima.

Janaína Leão: Psicóloga e Coach

@psicologa_coach  |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br

,

Constance Zahn Wedding Boutique | 1ª Edição


18 • 09 • 2017
por Lala Rudge

Oi Meninas, tudo bem?

Para quem vai casar (ou sonha com esse dia), eu tenho uma super dica! No fim deste mês (dias 29 e 30 de setembro) e 1 de outubro, vai acontecer na Casa Petra, a 1ª edição do Constance Zahn Wedding Boutique.

A Constance é uma expert em casamentos (tem blog, revista, livro…) e decidiu criar o seu primeiro evento totalmente dedicado ao público:  o CZ Wedding Boutique.

Durante três dias vocês poderão conhecer diversos fornecedores e terão dicas incríveis das últimas tendências no segmento wedding. Será como uma loja ‘pop-up’ dividida em quatro andares: Fashion, Serviços, Turismo e Gastronomia.O evento foi Inspirado em grandes lojas de departamento internacionais e trará desde ideias de festas mais intimistas à casamentos grandiosos.

Inclusive, no Terraço, terão diversas degustações de buffets, banqueteiros e empresas de bebidas e drinks. Então as noivas (e mães, amigas, noivos…) poderão visualizar como o buffet ficaria disposto no dia do casamento, além de poder experimentar de tudo! Hummmm!!

Serão 3 dias perfeitos para decidir do vestido ideal aos deliciosos docinhos!

Aproveitem!! Depois me contem aqui o que acharam.

Constance Zahn Wedding Boutique

Data:

29 de setembro a 1º de outubro

Horários:

29/09 das 10h30 às 21h00
30/09 das 10h30 às 21h00
01/10 das 09h00 às 19h00

Local:

Casa Petra – Av. Aratãs, 1010 – Moema, São Paulo

Ingressos:

CZ Wedding Boutique

Beijos,

Lala

, ,

Com qual cabide eu vou?


18 • 09 • 2017
por Carol Rosa

Olá, gente!

Acabei falando brevemente de cabides no último post e me animei para abordar mais sobre o assunto. Isso porque toda vez é igual: quando publico nas redes sociais ou mesmo quando estou na casa de alguém, são várias as perguntas sobre qual usar, qual evitar, quando usar, quando pendurar. Então esse, acredito eu, será um texto bem útil para todo mundo!

Afinal, quem nunca se viu nesta situação? Sai para comprar cabide, pega 15 unidades, chega em casa e tem a surpresa: elas não são suficientes. Volta para a loja, não acha o mesmo modelo e compra outro. Assim vai até que a pessoa se depara com um guarda-roupa cheio de cabides diferentes. E essa diferença traz dois problemas: a perda de tempo – afinal, a pessoa abre o armário e se concentra no cabide e não nas roupas – e a diminuição da vida útil da peça. Isso porque quando não está no cabide ideal, ela pode estragar.

Vamos, então, a algumas dicas do que pendurar e como pendurar. Lembrando, claro, que tudo depende do espaço e da quantidade de cada peça que a pessoa tem. Se é muita roupa para pouco espaço, os cabides finos são os ideais. Permitem que o maior número de peças seja acomodado. Mas vale lembrar que não adianta pendurar tudo também, de forma que um cabide fique enganchando no outro. O tecido vai amassar e pode até danificar. É preciso um dedo (ainda que pequeno) de distância entre um cabide e outro.

Mais um ponto importante é tomar cuidado com cabides plásticos, moles. Embora mais baratos, eles têm vida útil menor. Quem quiser economizar e comprar precisa lembrar de pendurar apenas peças leves. Uma calça jeans, por exemplo, certamente irá pesar e ele irá ceder.

Mas, seguindo algumas dicas importantes, é possível ganhar espaço, deixar tudo organizado e ainda preservar as roupas por mais tempo. Vamos lá?

BLUSA FINA

As blusas finas, de seda, cetim, ou aquelas regatas que escorregam, devem ser penduradas em cabides flocados. Não ocupam muito espaço, são bons e práticos.

CAMISETA POLO

Não são raras as casas em que as camisetas do tipo ‘polo’ são dobradas e guardadas em prateleiras e gavetas. Mas, quando houver espaço, vale colocá-las penduradas em cabides. Assim, a gola não perde o formato original. Nesses casos, é bom manter o primeiro e o segundo botão fechados.

CALÇA FEMININA

As calças femininas tendem a ter uma numeração menor. Assim, se possível, vale usar cabide infantil. Não ocupa muito espaço e acomoda bem as peças.

Aqui, os cabides de acrílico, na espessura mediana, também resolvem. Os mais grossos não são necessários.

Os pretos de plástico também podem ser usados. No entanto, evite pendurar calças jeans nesses modelos. Elas são mais pesadas e tendem a estragar o cabide.

Se o espaço for restrito, dependendo do cabide e da calça, dá para colocar mais de uma no mesmo acessório.

SHORTS E SAIAS

Muita gente não cogita pendurar shorts, mas é uma ótima opção.

Tanto os shorts como as saias podem ser pendurados em cabides com pinças. As pinças são adaptáveis a diversos modelos de cabides, como de silicone e veludo, e não estragam as peças.

Para shorts jeans, de tecido mais grosso, dá para usar as pinças de acrílico, mais simples e baratas.

Já para tecidos mais leves, vale colocar um pedaço de feltro entre a peça e a pinça, evitando que a roupa fique marcada. Outra opção é aproveitar aquelas alças que costumam vir na parte de dentro dos shorts e saias para pendurar, como se fosse uma blusa.

ROUPA SOCIAL

Cabides de madeira tendem a ser descartados pelo espaço que ocupam. No entanto, são excelentes e de uma durabilidade impressionante. Quem tiver espaço, deve optar por eles para pendurar calça, blazer e camisa.

Para terno, a indicação é a mesma: cabide de madeira, no entanto com espessura mais grossa. Existem até alguns próprios, com formato da ombreira, ótimos para manter a estrutura do terno.

Aqui, uma boa dica é: roupas que fazem conjunto devem ser penduradas juntas.

Outra dica é tomar cuidado com o tamanho do cabide para não marcar ou lacear as camisas. O ideal é que ele termine no fim do ombro.

CINTOS E GRAVATAS

Quem tem espaço, deve pendurar cintos e gravatas. Muita gente faz “rolinhos” com essas peças e acomoda em gavetas. No entanto, esse jeito de guardar compromete a vida útil da peça. Quanto mais esticados estiverem, melhor.

VESTIDO

Vestidos longos, dependendo do peso, não devem ser pendurados. O peso pode puxar o vestido para baixo, esticando a peça. Vale dobrar ao meio ou usar dois cabides: um para a alça e outro para a outra metade do vestido, formando uma espécie de onda. O problema, nesse caso, é que toma um espaço um pouco maior.

PEÇAS DE TRICÔ

Não devem ser penduradas, mas sim dobradas. Quando penduradas, elas podem esticar e perder a forma original.

E aí, foram lendo e percebendo um monte de coisas que precisam mudar no guarda-roupa? Então corram lá e façam isso agora. Afinal, ninguém quer perder peça por um descuido que dava para ter sido evitado, não é mesmo?

Se tiverem dúvidas, fiquem à vontade para me escrever. Pensei em falar, no mês que vem, sobre organizadores. O que acham? Vocês podem falar comigo e dar sugestões através do meu Instagram: @carolrosaorganizer.

Beijos,

Carol Rosa / Personal Organizer

carol@carolrosa.com.br

11 98899 9270 | 11 96060 6056

www.carolrosa.com.br

página 1 de 407