,

Dê valor ao que tem valor!


10 • 01 • 2018
por Janaína Leão

Olá meninas!

Ao longo da vida aprendemos que as conquistas materiais representam nosso trabalho, que vem acompanhado de esforço, dedicação, empenho e em muitos casos estresse e sofrimento. Quanto mais temos, mais queremos ter, até que chega um belo dia e nos deparamos que “tudo aquilo” são acessórios e não tem “O” valor ou a importância que dávamos.

A maturidade faz com que valorizemos pessoas, momentos, situações que em outros momentos passava batido. Para aqueles que já são pais, não tem nada mais restaurador do que encontrar o filho, abraçar, cuidar, zelar, ouvir um “eu te amo”. Nada mais revigorante do que reencontrar velhos amigos, para conversar, gargalhar e planejar novos encontros. Abraçar o(a) amado(a) é energizante e, em alguns casos, o tempo podia parar por segundos, apenas para ficar, ali, curtindo aquele intenso momento.

Com o tempo, aprendemos que quanto mais compramos, mais abafamos nossas mágoas e que a alegria é momentânea e as dívidas tiram o sono, causam mau-humor e nos desestruturam.

Hoje sabemos que a sua relação com o dinheiro, fala muito do que lhe foi ensinado, falado e vivido. O modelo mental de gastar, torrar dinheiro, viver de empréstimo, não ter poupança é um modelo mental. Exemplo: Conheço pessoas que ganham razoavelmente bem e já construíram seu patrimônio, como também aqueles que gastam e vivem no vermelho.

Pessoas que vivem preocupadas com dinheiro, na sua maioria, refletem uma falta de planejamento e organização. Por que preciso de dinheiro? Por que ele é importante para mim? Quanto eu preciso? Quais minhas responsabilidades financeiras, meus custos fixos e variáveis? Eu sei no que posso gastar mês a mês? Sei quanto vou conseguir investir ao longo do ano que se inicia? Quanto eu quero ter de dinheiro em dezembro de 2018? Quanto eu quero gastar ao longo do ano?

Com o tempo aprendemos que o dinheiro facilita e que devemos investir e não só gastar. Devemos acumular, viver na abundancia e não endividados. Estes itens não se referem apenas à parte financeira e sim a outras áreas da vida. Quanto mais vivermos na reserva, mais “resultados reservas” teremos.

Quando você estiver equilibrado financeiramente, certamente entenderá que o que vale na vida é a nossa saúde física e emocional, nossos familiares, amigos, nossa carreira e, principalmente, a forma como nos relacionamos conosco e com os outros. O que conta na vida é o legado que deixamos, os amores que criamos, a vida que vivemos e transformamos.

Vamos dar valor para o que tem valor: a vida!

Um beijo e até a próxima.

Janaína Leão: Psicóloga e Coach

@psicologa_coach  |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br

Comente