,

As linhas que aparecem ao redor dos olhos e a flacidez das pálpebras


27 • 07 • 2017
por Clarissa Rittes

Olá meninas!

O assunto de hoje é uma queixa frequente para quem chega aos 25 anos: as linhas que aparecem ao redor dos olhos.

Como expliquei no meu último post (vale a pena a leitura para entender o que é a perda de colágeno), a partir dessa idade, a produção de colágeno começa a diminuir e o resultado é a flacidez. Não temos como lutar contra o tempo, mas é possível amenizar o problema, utilizando alguns tratamentos desenvolvidos a nosso favor.

A delicada pele ao redor dos olhos é o primeiro sinal do início de que o corpo está deixando de produzir colágeno. Dependendo de fatores genéticos e de algumas condições preexistentes, como a dermatite atópica (um problema crônico que causa secura e coceira na pele), as ruguinhas e flacidez em volta dos olhos podem surgir mais cedo. Muitas vezes, esse ressecamento da pele em volta dos olhos cria um aspecto “craquelado” que não significa a perda do colágeno, mas o aspecto de uma flacidez “falsa”.

Como saber se é a flacidez que está começando ou é nossa pele que é seca?

Para um médico dermatologista é fácil diferenciar as duas condições. Já para os leigos, oriento o seguinte: quando o “craquele” é resultado de ressecamento, surgem linhas finas e, muitas vezes, a pele descama na região dos olhos e surgem coceira e vermelhidão. Por outro lado, quando há flacidez, resultado da idade, os sinais são a falta de elasticidade, vigor e a sensação de excesso de pele. Indico um teste bem simples para fazer esta checagem: passe o dedo levemente sobre a região ao redor dos olhos, se ela demorar a voltar para seu lugar, a flacidez já está por aí.

Pacientes entre os 25 e 30 anos, que apresentam alto índice de ressecamento ou flacidez na região, devem ser tratados para melhorar sua aparência e retardar o surgimento do problema. O tratamento começa com o uso de protetor solar diário (sempre!), cremes nutritivos e antioxidantes com ativos como ácido hialurônico, vitamina C, ou retinol no caso de peles mais resistentes.

A partir dos 30 anos, apenas o uso de cremes não é mais suficiente e é preciso começar a associar os cremes aos ativos e aparelhos próprios para essa região do rosto.

Abaixo alguns procedimentos que adoramos e apresentam excelentes resultados nas linhas ao redor dos olhos e na flacidez das pálpebras superiores e inferiores:

1. Laser Érbium: No momento, é o nosso preferido para tratar casos mais severos. A diminuição das linhas, tanto em quantidade quanto em profundidade, é visível e a retração da pele tem efeito cirúrgico (foto abaixo de pálpebra superior). O Érbium pode ser aplicado sozinho ou associado a outras tecnologias, em todos os tipos de pele, inclusive morenas e negras. Atenção, sempre! O médico dermatologista é quem sabe qual a energia correta a ser aplicada.

2. Exilis e Reaction: Essas duas radiofrequências aplicadas associadas ou sozinhas (cada caso é um caso) melhoram muito o aspecto da região, esticando a pele e retraindo as linhas. A quantidade de sessões necessárias varia de paciente para paciente.

3. Botox: Nosso queridinho é a melhor opção para tratar linhas DINÂMICAS, ou seja, aquelas causadas pela movimentação dos músculos, as conhecidas rugas de expressão. Todo cuidado é pouco! A aplicação da toxina botulínica na região dos olhos suaviza bastante o aspecto “pé de galinha”, mas a quantidade injetada, sua diluição e os pontos corretos onde deve ser aplicada, precisam ser respeitados para conseguirmos os resultados desejados. Quando injetado no lugar errado pode trazer sérias complicações como a ptose (queda) de pálpebras e bochecha.

4) Skin Booster: São injeções de ácido hialurônico líquido aplicadas no local, que atraem a água, hidratando a pele de dentro para fora e, consequentemente, esticando a pele e minimizando as linhas.

Todos esses procedimentos devem ser feitos com o médico dermatologista para evitar complicações, possíveis deformidades ou queimaduras. A indicação de qual tratamento é o ideal para você, que aparelho é o adequado, e a quantidade de sessões depende do grau da flacidez, idade e genética de cada paciente. Antes de iniciar qualquer tratamento é essencial passar por uma consulta médica para saber qual procedimento é indicado para sua pele.

Beijos e até a próxima coluna,

Dra. Clarissa Rittes

Para mais informações: Tel:. (11) 3045-4167 | IG: @clarissarittes

 

Comente