,

Franjas: Tudo que você deve saber para se transformar!


21 • 09 • 2018
por Renata Souza

Oi meninas, tudo bem?

Dessa vez trouxe um assunto que todas nós já notamos ser tendência! Sabemos que na moda tudo vai e volta e dessa vez o assunto de hoje voltou com tudo: as franjas.

      (Lala Rudge)

Muitas celebridades vem apostando no novo visual, e estão arrasando para seus novos trabalhos! Trouxe várias dicas para vocês entenderem qual é a melhor questão para escolher as franjinhas e qual o tipo ideal para cada formato de rosto.

(Marina Ruy Barbosa)

Por que escolher uma franja?

Se você quer renovar o visual e está determinada a ‘’mergulhar’’ em um novo estilo, agora é a hora de se jogar e não ter medo de fazer suas vontades! É muito importante essa vontade vir de VOCÊ acima de tudo, pois é bom estar bem com você mesmo, se sentir mais leve e confortável, com a intenção de se jogar em novos ares. Depois de aceitar a mudança, vem o segundo passo: escolher a franja ideal.

(Cleo Pires)

Qual franja devo cortar?

Existem vários tipos de franjas: existe aquela que dá volume; aquela mais alongada, ou as que são para laterais; tem também a reta bem marcada ou as irregulares, desfiadas. São várias opções para escolher!!! ♥

(Luisa Peleja)

(Mariana Ximenes)

Na hora de escolher, conversando com a sua profissional irão chegar na franja ideal para você! Tudo depende do que você deseja passar com o novo visual: Um aspecto mais natural? Mais despojado? Mais sério? Um ar mais romântico? Mais elegante? E por aí vai…

(Selena Gomez ,Taylor Swift e Kendall Jenner)

(Schynaider)

Mas lembre-se que para toda mudança, existe um tempo para se acostumar, de aderir novos cuidados diários, e principalmente quando se trata de cabelo, temos que ser bem disciplinadas e cuidar muito bem deles para evitar danos futuros, pois não vale a pena cortar para prejudicar os fios usando chapinhas e secadores diariamente né?! A franja deve ser prática e não trabalhosa. Então, antes de mais nada, entenda sobre seus fios para saber se seu cabelo comporta uma franja ok?

(Giulia Gayoso)

E aí meninas, gostaram? Quem já cortou franjinha? Quero saber tudo! Me mandem no @resouza que vou adorar falar com vocês.

Beijos, Rê Souza

Siga no Instagram:
@resouza | @spadeiaerenata

Spa Deia e Renata
(11) 3079-9333
Rua Adolfo Tabacow, 173 – Itaim Bibi
www.spadeiaerenata.com.br

,

A Obesidade | Como reverter este quadro de acúmulo de gordura


20 • 09 • 2018
por Equipe Pink Fit

Olá meninas, tudo bem com vocês?

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) a obesidade é considerada um acúmulo anormal ou excesso de gordura capaz de prejudicar a saúde, devido ao resultado de balanço calórico positivo a longo prazo, atingindo mais de 30% da população mundial. É considerado um dos principais fatores de risco para mortalidade e agravos de doenças não transmissíveis como as cardiovasculares, síndrome metabólica, hiperlipidemia, diabetes tipo 2, hipotireoidismo e pressão arterial.

Sua classificação é mais realizada por IMC (Índice de Massa Corpórea), sendo que o resultado para sobrepeso deve ser maior ou igual a 25 kg/m2 e, para obesidade, maior ou igual a 30 kg/m2.. Outra forma de classificação muito utilizada no meio clínico é a circunferência abdominal e quando a medida ultrapassa 88 cm para mulheres e 102 cm para os homens, significa risco aumentado para a saúde devido a maior presença de gordura visceral.

A gordura visceral é a grande vilã para nossa saúde, pois é mais sensível a ações de catecolaminas e de beta-agonistas que são resistentes à insulina, entrega gordura diretamente ao fígado pela veia porta (lesões no fígado que altera lipidemia) e secreta mais adipocinas ligadas as respostas inflamatórias.

O combate à obesidade vem da prática da atividade física aliada a uma reeducação alimentar. Essa mudança de estilo de vida é muito importante para o emagrecimento, porque nosso corpo gasta 70% do que consumimos para se manter funcionando e esse processo é chamado de taxa metabólica de repouso (TMR), o restante fica a cargo de: 10% pelo efeito térmico do alimento e os 20% restantes são gastos pela atividade física intencional.

E por este motivo, o profissional de educação física é tão importante no processo de emagrecimento, pois além prescrever e orientar seu treino de acordo com seus objetivos, o mesmo faz uma periodização e constantes mudanças para evitar a homeostase e até mesmo a diminuição da TMR que ocorre na maioria dos casos onde somente a dieta é utilizada como estratégia para o emagrecimento.

Este resultado vem de estudos que comprovam que a restrição caloria excessiva nos faz perder músculo também. Por este motivo, é essencial promover um ganho de massa magra através do exercício de força.

Para que seu corpo se recupere do treino, ele utiliza diversos substratos energéticos incluindo a lipólise que é a quebra das reservas de gordura como fonte de energia para compor a restauração músculo esquelética. Tudo isso, para se restaurar das micro lesões que resultam em hipertrofia muscular e para cada um quilo ganho de massa magra, nosso o corpo gasta pelo menos mais 21 kcal no repouso!

Outra estratégia utilizada para acelerar seu metabolismo é trabalhar com exercícios intensos que causam um déficit de oxigênio (EPOC) que nosso corpo demora mais 48 horas para se restabelecer e também gasta mais de calorias para se reajustar.

Nós, da Pink Fit Training, somos especialistas em emagrecimento saudável para mulheres. E sempre buscamos o seu melhor através de treinos dinâmicos e intensos dentro dos padrões biomecânicos corretos, para que você obtenha os melhores resultado!

Contem conosco!

Beijos

Equipe Pink Fit

Contato @pinkfittraining | www.pinkfit.com.br | contato@pinkfit.com.br| Tel.: (11) 98274-3422

,

O casal lado a lado | Como construir um “nós”


17 • 09 • 2018
por Janaína Leão

Olá meninas, tudo bem?

O que somos hoje é resultado de várias gerações familiares que nos precederam. Somos histórias que de alguma forma já foram vividas e apenas atualizadas com as tecnologias de cada década. Com base nessa informação, é prudente fazermos uma breve reflexão sobre os relacionamentos dos nossos antepassadas, por meio de histórias contadas e vividas pelos nossos  bisavós, avós ou pais. Dessa forma,conheceremos um pouco mais sobre a maneira como nos relacionamos, o que buscamos no outro e o que esperamos.

Carência, frustração, ansiedade, insegurança, medo… Tudo isso ocorre com todas as pessoas em intensidades diferentes. Fato é: todo mundo já sentiu, sente ou ainda vai sentir algo assim. Entender que o seu tempo não é o tempo do outro e que o que faz sentido para você hoje pode estar muito distante do querer da outra pessoa, é dar espaço para o outro ser ele mesmo – acolhendo os pontos positivos e melhorando os negativos.

Para um casal se fortalecer é necessário um aceitar o outro como ele é. As mudanças vão ocorrer naturalmente, em função da convivência. O que acontece é que muito antes de ter intimidade com o outro e conhecer sua história, os casais já estão esperando por transformações significativas.

O casal quando se forma precisa estar disposto a construir um “nós”. A paixão e o amor que levam duas pessoas a construir uma vida em conjunto passa por diversos momentos e oscilações, durante toda a existência. Entender essas etapas poderá proporcionar vida longa ao casal. Acreditar que a paixão e o amor serão o mesmo do início é o começo de muitas frustrações, brigas e cobranças – com o famoso discurso de “antes você era assim”. Na realidade, antes éramos “x” ou  “y” porque muitos cenários não haviam ocorrido. A vida é uma junção de fatos e vamos nos remodelando através deles. O que fomos no passado já foi, pois ao longo do tempo vivemos experiências, aprendemos, conhecemos e experimentamos diversas sensações, comportamentos e atitudes, e isso vai nos mudando.

Quando formamos um par, formamos também uma base que se alia e busca conjuntamente enfrentar as dificuldades do dia a dia e não competir com ela. A existência de um par tem como objetivo facilitar e não dificultar a vida, incluir e não excluir. O casal precisa construir o “nós”, buscar o alinhamento que faz sentido para a família e, principalmente, entender que equilíbrio é movimento e que sempre haverá oscilações, leves (na sua maioria) mas, às vezes, mais bruscas.

Para enfrentar as adversidades, o casal precisa se esforçar e construir a sua forma de se relacionar – do mesmo modo que seus pais, seus avós e bisavós fizeram.

Com carinho, sugiro àqueles que queiram formar um par, se disponham a criar acordos que façam sentido para os dois, como forma de minimizar conflitos. Desejo que não sejam nem melhor nem pior que outros casais; apenas que tenham regras que os façam caminhar lado a lado.

Beijos e ótima semana!

Janaína Leão: Psicóloga e Coach

@psicologa_coach   |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br

página 1 de 831