,

Será que tenho algum transtorno alimentar?


20 • 07 • 2018
por Janaína Leão

Olá a todos, meninos e meninas!!!

No ultimo texto conversei com vocês sobre qual é a relação de vocês com a comida, lembram? Hoje falaremos brevemente sobre ortorexia, e os transtornos alimentares anorexia, bulimia e compulsão alimentar.

A ortorexia é uma fixação por se alimentar de forma “correta”. É um padrão de obsessão extremo por pensamentos ligados a comida saudável. As pessoas que têm o transtorno conhecem exatamente tudo o que estão comendo, pois detalham rótulos a ponto de não comerem nada que não seja “saudável”. Criam regras e normas subjetivas sobre os alimentos e o que comer. A restrição é tão intensa, que deixam de comer caso não existam opções que não estejam de acordo com o seu entendimento alimentar.

Geralmente, essas pessoas não consomem gordura, sal e açúcar; diminuem o carboidrato, laticínios, carnes. Em muitos casos, desistem do atendimento com a nutricionista, por seguir apenas o seu plano alimentar – já que não aceitam modificações ou inserção de novos alimentos em sua dieta.

Como transtorno alimentar, a anorexia, segundo o DSM-5, tem três características essenciais: restrição persistente quanto a caloria; medo intenso de ganhar peso ou engordar, ou comportamento persistente que interfere no ganho de peso; e percepção do próprio peso ou da própria forma. Engana-se quem pensa que o padrão de pessoas com anorexia é magreza “pele e osso”; muitas pessoas tem o transtorno e ele é mascarado.

Já na bulimia, existem três aspectos essenciais: episódio recorrente de compulsão alimentar; comportamentos compensatórios inapropriados para impedir o ganho de peso, como por exemplo, vomitar; e autovaliação distorcida. ara caracterizar o diagnóstico, a compulsão alimentar e os comportamentos compensatórios devem ocorrer pelo menos 1 vez na semana. Mas o que vem a ser compulsão alimentar? Chamo atenção para esse item, pois quem tem anorexia entende como excesso 3 fatias de bolos que não dariam 1 fatia “normal”. É considerado compulsão alimentar o excesso de comida. Por exemplo, alguém lancha à tarde 4 pães franceses com queijo e peito de peru, 3 sonhos recheados com doce de leite, 4 pedaços de bolos de padaria, 4 coxinhas, 8 bolinhas de queijo, 8 mini-pasteis e 500ml de suco. Após ingerir esses alimentos, no entanto, vomita até “sentir o estômago vazio” – essa é uma fala comum em quem tem bulimia. Isso é de fato compulsão.

Atualmente é muito comum ouvir pessoas afirmando que comem compulsivamente. Quando buscamos entender essa fala, fica claro que a compulsão mencionada se refere ao excesso que a pessoa come e não a compulsão propriamente.

Precisamos conversar abertamente sobre esses transtornos, a fim de incentivar a busca por orientação e ajuda. Quanto antes se inicia o tratamento, mais positivo é o prognóstico.

Beijos e até a próxima!

Janaína Leão: Psicóloga e Coach

@psicologa_coach   |    janaina@janainaleao.com.br     |    www.janainaleao.com.br

,

Como aflorar sua intuição


18 • 07 • 2018
por Luciana Panteleiciuc

Oi meninas, tudo bem com vocês?

Utilizar nossa intuição é um dos passos mais importantes em nossa evolução. Sempre que escutamos nosso coração estamos sintonizados com a intuição, aquela “voz interior” que normalmente é considerada como algo “superior”, a voz de nossa consciência, algo que transcende a razão e o pensamento lógico.

De uma maneira geral, nós mulheres temos uma intuição mais desenvolvida ou desperta do que a maioria dos homens, pois nossa característica “yin”, de energia passiva, nos permite escutar mais conscientemente esta voz interior.

Hoje sabemos que escutar nossas intuições e segui-las é uma forma garantida de obtermos sucesso em qualquer área de nossa existência, especialmente para realizarmos os desejos mais profundos de nossa alma. Todos nós podemos e devemos aprender a desenvolver nossa intuição o que nos possibilita avanços consideráveis na clareza da nossa evolução pessoal.

Nas empresas, o sexto sentido de um executivo experiente pode valer mais a pena do que algumas pesquisas. Claro que falar em intuição não parece muito objetivo, quando se trata de negócios, mas desconsiderar aquela voz que, lá no fundo, diz para você fazer isso ou aquilo na hora de tomar uma decisão importante pode ser a escolha mais equivocada.

Seguir a intuição não tem nada de sobrenatural e, na prática, tem muito mais a ver com a experiência. o famoso “feeling” foi decisivo para o sucesso de vários grandes empreendedores, como Mark Zuckerberg (Facebook), Akio Morita (Sony), Ray Kroc (McDonald’s) e Steve Jobs (Apple).

CINCO passos que vão te ajudar no despertar da intuição.

  1. Primeiro passo: Meditação

A meditação é com certeza a melhor ferramenta para que possamos despertar e aperfeiçoar nossas habilidades intuitivas, independentemente da técnica meditativa que utilizamos. Por que?

  • Relaxamento: Devemos aprender a relaxar profundamente para que possamos ouvir nossa intuição;
  • Conscientes do momento presente: consciência do momento presente é fundamental para que possamos perceber quais são nossos processos de pensamento lógico, racional ou subconsciente e quais são as informações de origem intuitiva.
  • Desenvolve a concentração.  Para isso, é fundamental que tenhamos clareza, e isso vem através de nossa capacidade de ficarmos concentrados nas sutilezas das variações de nossos pensamentos, sentimentos e energia.  A concentração apurada é uma das principais consequências da prática meditativa e nossas percepções se tornam muito mais nítidas, conforme avançamos nas práticas.

2. Segundo passo: Ficar sozinha e praticar a ATENÇÃO PLENA

Estar sozinho é com certeza uma das formas mais eficientes de aperfeiçoarmos nossa intuição. O SER humano é um animal extremamente social e passamos a maior parte de nossas vidas acompanhados de outras pessoas. Dedicar alguns momentos a nós mesmos é fundamental: silêncio, em relaxamento mental, sem fazer atividades intelectuais, como ler ou assistir algum video, aprendendo a contemplar nosso mundo interior. Caminhar, praticar atividades físicas, estar em contato com plantas, animais, contemplar a natureza, são atividades que permitem um relaxamento mental e, nestes estágios de “mente vazia” , estamos mais aptos a perceber as informações intuitivas com mais clareza, podendo então discernir melhor sobre aquilo que é intuitivo de fato.

3. Terceiro passo: Sutilizar a alimentação

Nossa alimentação tem um papel muito importante em nossa evolução espiritual. Além das questões físicas e nutricionais dos alimentos, existem outros fatores que são desencadeados através dos alimentos, como emoções, pensamentos e reações energéticas de todos os tipos. Cada alimento carrega em si uma vibração, e estas vibrações que ingerimos afetam diretamente nosso campo de energia, e podem facilitar ou dificultar nossa intuição.

Alimentos “vivos” são os mais adequados para auxiliarem no despertar da intuição. Frutas, verduras e legumes crus, grãos e sementes germinados, sucos e smoothies são facilitadores dos processos intuitivos, pois além de serem mais facilmente digeridos pelo corpo, são cheios de energia vital e vibrações que expandem nosso campo de energia, permitindo uma elevação em nosso estado geral de vitalidade, aumentando consideravelmente nossa capacidade intuitiva.

Produtos de origem animal, alimentos industrializados e altamente processados tem digestão mais difícil e lenta, alta quantidade de toxinas, são pobres em energia vital, geram estímulos excessivos no sistema nervoso, aumentam a glicose sanguínea e causam alterações nos estados emocionais.

A melhor ferramenta no sentido de sutilizar a alimentação para aumentar nossa intuição é a prática dos jejuns, sejam eles jejuns secos, com água ou sucos. O jejum irá permitir que o corpo descanse das funções digestivas, facilitando que nossa energia seja direcionada para outras atividades, trazendo mais clareza mental e emocional, logo, permitindo uma expansão de nossas habilidades de utilizar com eficiência nossa intuição.

4. Quarto passo: Aflorar o sagrado feminino

Todos nós, homens e mulheres, possuímos em nossa essência a manifestação dos dois gêneros, masculino e feminino.  De uma maneira geral, os homens possuem uma tendência a manifestar o lado mais “yang” da existência em que as percepções são mais lógicas, racionais, matemáticas, padronizadas e baseadas em experiências anteriores.

As mulheres apresentam energia mais passiva, mais “yin”, são mais conscientes de sua intuição, utilizam mais sua sabedoria emocional, escutam mais o corpo, são mais criativas e transcendem mais facilmente as programações mentais e hábitos condicionados. Essas características yin dão origem a muitos movimentos que estão em alta nos dias de hoje e buscam resgatar o “sagrado feminino”, este lado divino e especial que todas as mulheres e homens possuem, e que foi obscurecido durante os últimos milênios por um mundo excessivamente patriarcal e masculino. Nossa sociedade valoriza muito o lado yang, competitivo, de trabalho ativo, do uso da razão, da valorização do dinheiro, do comércio, onde as mulheres são incentivadas a agirem como homens, liderando a família, pagando contas, deixando os filhos em creches e escolas, correndo atrás de tudo e mais um pouco para manter o conforto da família. Estas situações da vida moderna nem sempre são coerentes com a essência feminina da delicadeza, do serviço amoroso, da cooperação e altruísmo.

O resgate do lado feminino ocorre toda vez que estamos mais abertas as novidades, mais passivas em relação à vida, quando agimos escutando o coração, ouvindo nossas emoções, quando resolvemos criar soluções, inovando, quando nos dedicamos em produzir arte, beleza, dança e harmonia.

5. Quinto passo: Coragem para agir

O quinto passo para aperfeiçoar nossa capacidade intuitiva é ter coragem para agir. A própria palavra coragem já diz tudo, devemos agir seguindo nosso coração! Entretanto, nem sempre sabemos se o que consideramos intuição é realmente uma intuição ou se é apenas um pensamento induzido, uma vontade do subconsciente, funções do ego. Para que possamos discernir sobre o que é intuição ou não, devemos praticar com consciência os outros passos, estando concentrados em nosso presente, relaxados, com a mente vazia, passiva, prontos para receber do universo as dicas e informações sobre nossos próximos passos para a felicidade.

Geralmente, quando seguimos a intuição os resultados são maravilhosos, acontecem “milagres” em nossas vidas, nos sentimos felizes, realizados e nossa alma se alinha com aquilo que conhecemos como “o propósito de vida”.

Sejamos sábios para conciliar nossa intuição com nossa razão, caminho garantido para a felicidade, realização de nossos sonhos e manifestação daquilo que mais especial existe em nosso caminhar, o AMOR amplo por tudo e por todos.

E se você quer BRILHAR usando sua intuição e muito mais ainda neste ano de 2018, anota aí! No dia 07 de AGOSTO acontecerá o Workshop MULHERES BRILHANTES, o primeiro deste ano!

E você não pode ficar fora desse encontro com muito autoconhecimento e ferramentas práticas para você fazer sua LUZ BRILHAR na sua carreira e na sua vida pessoal!

Envie JÁ um email para contato@coachdemulheres.com.br , para saber mais!

Um beijo e te vejo lá!

Lú Panteleiciuc ❤

* Luciana Panteleiciuc é master coach e mentora de Liderança Feminina, escritora e palestrante, possui uma carreira de mais de 30 anos como executiva desenvolvendo, gerindo e liderando pessoas. Graduada em Administração de Empresas pela FAAP com especialização em marketing, é formada em Coaching pelo Instituto Holos. É sócia-diretora da Binah Marketing, consultoria de desenvolvimento humano e marketing, além de ser responsável pelo site https://www.coachdemulheres.com.br/  e pelo canal no YouTube https://www.youtube.com/user/Lucianapanteleiciuc

IG: @coachdemulher | Fb: Coachdemulheres | Youtube: Canal Lucianapanteleiciuc

,

O preparo para a chegada do bebê


16 • 07 • 2018
por Carol Rosa

Olá, como vocês estão?

Prontas para mais uma leva de dicas de organização? A coluna de hoje foi feita pensando nas futuras mamães. Quero ensinar cinco truques essenciais que toda gestante deve aplicar na hora de montar o guarda-roupa do bebê. E olha que não basta só ter tudo comprado. Nesse momento, é importante deixar tudo funcional e à mão para facilitar a vida da mãe. Afinal de contas, serão alguns meses de muito cuidado, atenção e uma demanda sem fim.

 O que comprar?

A primeira recomendação é fazer uma lista de tudo que a criança vai precisar nestes primeiros meses: macacão, mijão, body de manga curta, body de manga longa, calça, pares de meia. Inclua nessa conta ao menos 2 casaquinhos para cada idade do recém-nascido. Com os itens prioritários em mãos, saiba que o recomendável é comprar no mínimo seis peças de roupa de cada categoria por faixa etária. Ou seja, seis macacões para a criança usar de 0 a 3 meses, mais seis macacões para 3 a 6 meses, e assim por diante. É claro que as mamães vão comprar aquele item que mais gostam, mesmo que já tenham a quantidade necessária. Mas vale lembrar que a criança também ganhará muitos presentes e, por isso, é importante ficar atento para não exagerar e correr o risco de acabar com peça no armário que sequer será usada.

Outra dica importante é priorizar as compras de itens básicos. Roupas sociais ou de sair, em geral, a criança acaba ganhando de presente. É normal que os meninos ganhem camisa ou uma calça mais descolada e as meninas muitos vestidos e macacões de babados.

Já para a rouparia, a recomendação é comprar ao menos duas mantas e três trocas de lençóis. Calcule também três jogos de toalha.

Como organizar?

Faça uso de organizadores para facilitar o dia a dia de quem cuida do bebê. Eles são ótimos para acomodar os medicamentos das crianças. Aqueles para cólica, dor de ouvido, vitaminas e até o termômetro, como são muito usados nos primeiros meses de vida, devem estar sempre à mão.

Use os organizadores também para guardar algodão, lenço umedecido, pote com água, pomada, etc.  E deixe sempre em um espaço próximo ao trocador. Reserve ainda uma outra cestinha ou caixa para guardar o kit de higiene do bebê, como o cortador de unha e lixa.

Os divisores de gaveta costumam ser esquecidos, mas são ótimos para separar acessórios de cabelo das crianças, no caso de meninas.

E o armário?

Para as roupas que vão ser penduradas, eu costumo usar um truque que funciona bem. Na hora de separar as peças dentro do armário, não leve em conta apenas o tamanho discriminado na etiqueta. Meça cada item. Compare. As confecções não seguem um padrão. Algumas roupas que seriam de 0 a 3 meses, podem ter um tamanho semelhante às de 3 a 6 meses. Depois de separados por tamanho, pendure em ordem crescente no armário: do menor para o maior. Assim as roupas ficarão bem organizadas e você terá uma noção de todos os itens que o recém-nascido tem.

Outra dica importante e que vai facilitar a vida de quem prefere pendurar a maior quantidade possível de camisetas, calças e vestidos, é comprar cabides finos e infantis. Eles ocupam menos espaço e são ideais para o tamanho das roupas.

Lave as roupinhas

Com a chegada do bebê se aproximando, é hora de preparar as roupas que ele irá usar. Sugiro sempre que as mamães deixem as roupas lavadas até pelo menos o sexto mês de gravidez. Acredite: a mãe não terá tempo de fazer isso depois do nascimento. Lave todas as peças e passe antes do recém-nascido vesti-las. Atenção: Use sempre sabão de coco ou neutro. Nunca utilize amaciante. A criança pode desenvolver alguma alergia.

Outra dica importantíssima é sempre cortar a etiqueta antes de organizar as peças no armário, principalmente as de recém-nascido. Como a pele do bebê é muito sensível, a etiqueta pode acabar irritando e arranhando a criança.

Check List Final

Aqui é o momento que a mamãe acaba se empolgando e descobre que comprou muitos macacões, mas tem apenas três bodies. Por isso, aconselho organizar o armário do bebê já no final da gravidez, quando quase tudo já estiver comprado. Vai ficar mais fácil deixar as coisas em ordem e ver o espaço que você deve destinar para cada tipo de peça. Esse é o momento de refazer a conta e checar a lista item por item. As pessoas se surpreendem como, às vezes,acabam esquecendo as coisas mais básicas e primordiais como um simples cortador de unha.

Siga essas dicas e você verá que vai economizar tempo com o seu bebê, o que é tão precioso nessa fase da vida dele. E para quem está grávida, assim como a Maria, aproveite muito cada momento e boa gestação!

Até a próxima!

Carol Rosa/ Personal Organizer

carol@carolrosa.com.br

11 98899 9270 | 11 96060 6056

www.carolrosa.com.br

página 1 de 1259