Todos os artigos por Gisela Saback

,

PROJETO VERÃO X PROJETO VIDA


18 • 10 • 2017
por Gisela Saback

Oi meninas,

Já estamos em meados de outubro e agora começa a correria dos desesperados para o famoso “projeto verão”. Quem nunca, não é mesmo?

Sempre falo para as minhas amigas e faço questão de enfatizar nos meus posts que nada é de um dia para o outro. Definitivamente, não existe corpo dos sonhos em dois meses. Dieta e malhação são pautados em consistência, frequência e persistência, para inicio de conversa. Fechar a boca um mês antes de viajar para a praia vai dar um susto no organismo e aquela secada que todos desejam? Talvez. Mas e depois?

Não acho que todos precisam ser iguais e devam se alimentar da mesma forma, seguir uma rotina de treino carregada, acho apenas que aplicar um projeto vida é muito mais interessante do que um projeto verão.

Cuidar do copo de dentro para fora é incrível e acreditem, um caminho sem volta. Ter o corpo bacana, magro, é consequência desse cuidado. Parece hipocrisia minha, que obviamente me preocupo bastante com estética, mas não é. Aprendi a amar comer saudável e me sinto bem desta forma. Hoje me permito comer uma besteira ou outra, mas 85% do tempo me alimento de forma leve, pelo simples fato de me fazer feliz.

Entendam meu ponto, pois não estou falando de radicalismo. Mesmo porque, não acho bacana ser extremista. Não deixo de ir em eventos sociais (com a quantidade de casamentos que ando tendo, seria praticamente impossível), mas já falei aqui antes que é tudo uma questão de escolhas.

Pegando o gancho dos casamentos, se sei que vou beber no fim de semana, não bebo durante a semana e quando estou no casamento, continuo optando por saladas, carnes magras, legumes, frutas (adoro roubar as frutas do barman das caipirinhas  – muito melhor do que atacar a mesa de doces). Acreditem, sempre encontramos opções saudáveis hoje em dia. Comer a frutinha da caipirinha não exclui o doce, a questão é não comer 10 e sim selecionar aquele que você mais ama e apreciá-lo. Muita coisa mudou na minha vida depois que eu aprendi a diferença entre fome e vontade de comer. Pensem, reflitam antes de comer, faz toda a diferença.

Basicamente, evito farinha branca, fritura açúcar e industrializados. Doce ilusão achar que nos restaurantes não usam óleo, manteiga, sal e açúcar em situações que nem imaginamos, mas faz parte, amo jantar fora e não vou morrer, muito menos engordar por isso. Durante a semana mantenho minha rotina, justamente para não entrar em paranoia quando estou com meu namorado ou amigos em eventos sociais.

Concluindo a questão do projeto verão, que ao meu ver é inconsistente, porque não aproveitar e transformá-lo em projeto vida? O resultado é no longo prazo, mas é duradouro e os benefícios são infinitos. Vai além de emagrecer para o réveillon, estamos falando de saúde, auto estima, bem estar, humor, disposição entre muitos outros.

O #ProjetoGiSaback é pautado nisso. Não em datas especificas, não foi feito para durar 2, 3, 6 meses, ele não tem prazo de validade. Estamos falando de mudanças de hábitos, de mudança de comportamento, de escolhas (exemplo do casamento), estamos falando de saúde. Alguém disposto a começar?

Com carinho,

Gi Saback

@giselasaback

,

Dieta, Treino e Resultados


08 • 08 • 2017
por Gisela Saback

Oi, meninas, tudo bem?

Assim que sai da nutri, há pouco mais de 1 mês, contei para vocês sobre meus objetivos e detalhes da dieta nova. Introduzimos carboidratos nos lanches e demos enfase no pré e pós treino. O objetivo, como falei, era ganho de massa magra, porém sem ganho de gordura.

Falo muito da importância de ter profissionais qualificados em quem podemos confiar e acreditar. Isso fez toda a diferença no meu processo. Ninguém chega a lugar algum sozinho. E nesse caso, foi um conjunto de forças que gerou resultado.

A Yana Glazer, minha nutri, me passou a dieta e eu confiei: passei a me regrar para não ficar mais de 3 horas sem comer, tomei as dosagens corretas de suplementos, introduzi carboidratos em refeições como lanche da tarde e café da manhã; simplesmente confiei no plano que ela me propôs e segui a risca.

O Cassio Fidlay, meu personal, foi muito duro com relação aos treinos e me pediu que desse um tempo no aeróbico durante esse período. Passei a fazer musculação quatro vezes na semana e aeróbico duas (quarta e sábado). Domingo OFF, porque o músculo precisa descansar, não é mesmo?

Antes de começar esse acompanhamento eu fazia musculação e cardio praticamente todos os dias e me alimentava muito pouco para o meu alto gasto energético. Resultado: Fiquei magrinha e com pouco músculo. Com isso, o ganho de massa muscular, antes de ser uma questão estética, tornou-se uma questão de saúde.

No meu retorno com a Yana, tive a felicidade de ver que engordei 1kg de massa magra, mesmo comendo mais e treinando por menos tempo, porém com mais intensidade (menos aeróbico, mais musculação) e ainda perdi 1kg de gordura. Consequentemente, baixei meu percentual de gordura. Ela me deu nota 9,9, só para eu não ficar me achando muito! rsrs

É uma somatória de forças. Não adianta ter dieta e não ter treino, e não adianta ter ambos se não existe comprometimento e força de vontade. Um complementa o outro. Quando digo que dieta e treino são individualizados é a mais pura verdade.

O meu intuito é inspirar vocês e mostrar o meu lifestyle, minhas conquistas, meus objetivos, mas cada um responde de uma forma. Procurem sempre um profissional, ele vai te nortear e, juntos, vocês irão entender como o corpo reage à novas dietas e exercícios, para chegar no objetivo final, porque nem sempre acertamos de primeira.

Mas falado do meu retorno na nutri, pouquíssimas coisas mudaram. Como vou viajar no final de agosto, mantivemos praticamente a mesma dieta, porém introduzimos 100g de carboidrato no almoço. Os treinos permanecem os mesmos, e em setembro vamos modificar. Os aeróbicos serão alternados entre corrida e aulas de Bootamp.

Se vocês me perguntarem a lição principal disso tudo, apesar de ter sido apenas um mês, diria que foi entender que excesso NÃO é sinônimo de resultado e comer com consciência e sem medo NÃO engorda. Não adianta fazer milhões de atividades na academia, porém sem qualidade, assim como não adianta ter medo de comer e viver aprisionado em dietas restritivas e sem fundamento.

Procurem um profissional da área. Se cerquem de pessoas que vocês possam confiar e sejam consistentes. Nada é da noite para o dia. Todo resultado e conquista exige entrega, esforço e dedicação.

Super beijo e vamos em frente que ainda temos 2kg de músculo para ganhar!!

Gi Saback

@giselasaback

,

O Desafio Dos 30 Dias Sem Álcool


18 • 07 • 2017
por Gisela Saback

Meninas, tudo bem?

Como muitas de vocês têm acompanhado, estou há 23 dias sem beber. Falando desta forma, parece que sou viciada e estou contado no dedo estes dias hahahaha Mas acreditam que não está tão ruim assim? A verdade é que, quando dizemos “não consigo ir em tal lugar sem beber”, estamos criando uma dependência desnecessária, porque é totalmente possível ter diversão sem bebida alcoólica. Além dos inúmeros benefícios para a nossa saúde e bem-estar.

A ideia de fazer desafio veio após minha consulta com a nutricionista Yana Glaser (último post contei tudo sobre a dieta nova). Como meu objetivo passou a ser ganho de massa magra e em um intervalo de tempo curto, minha intenção com o #30diassemalcool é conseguir avaliar as reações do meu corpo através do treino e dieta nova, sem interferências. Até porque, o álcool é sim um grande inimigo no processo de ganho muscular. Não adianta manter uma rotina de treinos e alimentação correta, se a bebida dificulta tanto a absorção daquilo que realmente interessa para o organismo e ainda por cima engorda, não é mesmo?

Eu raramente bebo durante a semana, mas nos finais de semana, não abro mão de um vinhozinho com meu namorado e amigos. Tenho prazer e acho que a vida precisa ser vivida com equilíbrio. Já falei o quanto acredito que comer/ beber é viver! Já imaginou fazer uma viagem e não experimentar a culinária local? Ou não brindar as datas especiais? Sem chances! Para manter um estilo de vida saudável ele precisa ser sustentável, através de soluções amplas e integrais. Ou seja, uma mudança de estilo de vida e não pílula secreta e dietas mirabolantes que te aprisionam e não trazem resultados no longo prazo.

Segundo minha nutri Yana Glazer, “A conclusão geralmente aceita é de que grandes ingestões de álcool, não apresentam efeitos benéficos à função muscular e, na verdade, o álcool pode causar efeitos prejudiciais sobre o desempenho no exercício quando consumidos em doses altas. Porém, não existem indícios de prejuízos à saúde e ao desempenho quando o álcool é utilizado com sensatez.”

Segue abaixo um resumo do por que “O ÁLCOOL NÃO AJUDA A MELHORAR A PERFORMANCE E RENDIMENTO NOS TREINOS E PROVAS”, tema do artigo escrito pela Yana, e que me motivaram a entrar no desafio.

·       O consumo de bebidas alcoólicas prejudica a absorção de nutrientes e depleta (consome) o glicogênio hepático (os atletas precisam de glicogênio hepático!!!)

·       Inibe o anabolismo (isso mesmo, não tem como ganhar massa magra se os estoques de glicogênio estão baixos).

·       Assim como as bebidas gaseificadas, a fermentação de algumas bebidas (ex:cerveja) também dilata o estômago fazendo com que você coma cada vez mais, além de possuir as famosas “calorias vazias”.

·       A diurese provocada pelo consumo de bebidas alcoólicas dá-se pela inibição do hormônio anti-diurético ocasionando desidratação. A partir desse estado fisiológico, ocorrerá uma retenção hídrica posterior, pois seu corpo sempre que passar por um momento de restrição, procura uma maneira de armazenar o que lhe faltava antes para evitar possível déficit posterior.

·       O Álcool contem grande quantidade de calorias, e pior, CALORIAS VAZIAS.

Nesses 23 dias sem beber nadinha, passando por aniversários, baladas, jantares regados a MUITO vinho, tirei de letra. Nas baladas, minha dica é sempre manter um copo na mão. Normalmente com água, limão espremido e gelo, água com gás e especiarias (quase um gim tónica Rs), água de coco, até um energético puro, caso necessário, para se manter mais animadinha. Chiclete sem açúcar na balada me ajuda também. Mas acreditem, música boa e amigos são melhores do que qualquer copo de vodka.

Assim que acabar o período de 1 mês, pretendo diminuir cada vez mais o consumo de bebidas alcoólicas. Jamais deixarei de confraternizar e brindar momentos importantes, mas essa “dependência” do álcool nos faz acreditar que sem ele, não conseguimos nos divertir, parece uma condicionante, o que é um grande equivoco. Tenho me divertido até mais sem a bebida.

A vida é feita de escolhas, portanto, indispensável ter foco, acreditar no propósito e na nossa capacidade de tomar decisões para alcançar nossas metas. Somos sim capazes de ficar sem beber, comer açúcar, fritura, somos capazes de tudo! Não vamos esquecer que o desafio em questão tem um prazo de 30 dias. Tempo suficiente para dar um choque, limpar o organismo e voltar à rotina. A intenção não é cortar o álcool, trata-se se uma forma de dar novos estímulos ao corpo e também aprender um pouco sobre auto-controle. O mais importante é lembrar que a moderação e o equilíbrio são a chave para uma vida saudável e sustentável no longo prazo.

 

Gi Saback!

@giselasaback

página 2 de 6